Finais.


A gente se acostuma tanto com algo ou alguém que permaneceu na nossa vida por muito tempo, alguém que teve uma importância relevante e que acabou se enraizando de alguma forma lá dentro de nós. É por isso que os finais doem, porque de repente a gente tem que passar a se acostumar com a ausência do que antes era uma constante presença. E recomeçar do zero exige uma força de vontade que nem sempre surge rapidamente. Então aí a gente cria um casulo, um próprio abrigo, fecha um pouco mais o coração e abre os olhos para reavaliar tudo o que passou e planejar o que está por vir. Dizer adeus e recomeçar do zero às vezes dói, mesmo sabendo que um dia vai passar. Mas é necessário dizer adeus para amores que já não acalmam mais, para pessoas que já não trazem mais paz. 

Certos momentos parecem que vão durar para sempre, parecem que não terão fim, mas nada é eterno. Da mesma forma que os sorrisos duram instantes, a dor também não é eterna. Com o tempo a gente aprende a lidar com todo aquele andamento do desapego, tentando recuperar nossa estabilidade, retomar nosso equilibrio, reassumir nosso controle para decidir o que não faz mais sentido ter em nossos corações. O tampo vai passando, o sofrimento vai diminuindo, as lágrimas vão secando, o coração vai se tranquilizando e você vai se redescobrindo, permitindo se encontrar novamente, descobrir novas formas de viver, novos caminhos para seguir e novos sentimentos para sentir. E após todo esse ciclo vem a parte fantástica de todo aquele sentimento que causou tanta turbulência, tanta tristeza: entendemos que toda a dor foi fundamental para conseguirmos abrir espaço para algo melhor em nossas vidas.

Quando um ciclo finaliza em nossa vida, é a forma que a vida nos motra que todo aquele relacionamento já deu o que tinha que dar, que já adquirimos tudo o que era preciso ali. E mostra que enfim chegou a hora de tocar a vida em frente, esvaziar um pouco o coração, e passar a enxergar que você tornou-se alguém melhor, alguém que amadureceu com as quedas e as pancadas da vida, e por isso agora merece apenas o melhor. Por fim, você percebe que é mais forte do que antes, mais madura do que antes e o que encontrava-se antes na sua vida, já não faz mais sentido para essa nova pessoa que és. (Escrito por Bárbara Flores)



Comente com o Facebook: