Houve amor.

Sobre aquela velha frase “quando o relacionamento se acaba, nada verdade nunca se amou”? Não acho que seja verdade. Não é porque o relacionamento entre duas pessoas não deu certo, que não houve amor entre elas. Talvez só não era para dar certo mesmo, certas coisas não tem explicação. Talvez era só para se apaixonarem, se amarem e terminarem, levarem como aprendizado. Certas pessoas gostam muito uma da outra, porém não estão destinadas a ficar juntas, suas personalidades e seus caminhos são tão diferentes que não conseguiram se conciliar.
Às vezes por mais que exista o amor, o relacionamento entre as pessoas se desgastam, se cansam, a convivência começa a não dar certo e o relacionamento não passa mais a ser uma coisa única e especial, passa a ser rotina, dia a dia, obrigação. E isso não quer dizer que não tenha tido amor. Existe amor até mesmo nas relações mais improváveis, mas talvez o problema é que não exista amor o suficiente de ambas as partes para aguentar um relacionamento longo e duradouro, ou um amor forte o suficiente para seguir mesmo com todos os obstáculos. Mas nem por isso deixa de ser amor. Existem várias formas de sentir, existem várias formas de amor. 

Cada relacionamento, independente do seu tempo de duração, é único e especial do seu jeito. Cada relacionamento tem sua forma de amor, sua forma de sentir. Existem inúmeras formas de amor e inúmeras formas de ficar junto, independente de estar ao lado fisicamente. Amores intensos, amores calmos, amores agitados, amores tranquilos. Só porque o relacionamento se desgastou e chegou ao fim, não quer dizer que foi por falta de amor, na maioria das vezes é chega ao fim por falta de fé, por falta de esperança, por falta de gestos, por falta de atitudes. Relacionamento nenhum sobrevive somente com amor dito em palavras. Houve amor. Não foi intenso o suficiente para dar certo, mas houve. (Escrito por Bárbara Flores)

Comente com o Facebook: