A garota que você deixou pra trás.

Comecei a desejar esse livro por acaso quando li sua sinopse e descobri que a história era narrada por Sophie que viveu no tempo da Primeira Guerra Mundial e Liv que viveu no tempo da Primeira Guerra Mundial, e eu amo histórias que retratem uma outra época. Na verdade, esse livro conta duas histórias intercaladas em épocas totalmente diferente que acabam causando uma reviravolta total. 
“Ás vezes a vida é uma série de obstáculos, uma questão de colocar um pé na frente do outro. Às vezes, de repente ela se dá conta, é simplesmente uma questão de fé cega.”
Na primeira história conhecemos a inesquecível Sophie, uma personagem forte e cheia de personalidade, ela inspira o mais puro sentimento de coragem e fé, no período da primeira guerra mundial, na frança, uma cidadezinha invadida pelos alemães, com todo o seu amor por seu marido Édouard que está na guerra mas que antes de ir lutar pintou um lindo quadro que retravava toda a doçura que ele via em Sophie. O tempo passa e ela se vê desesperada para conseguir encontrar o marido novamente e toma atitudes e faz escolhas que causam uma total reviravolta em sua vida e que terão consequências no futuro. 
“Passaram-se anos até ela conseguir ver a felicidade dos outros sem lamentar a perda da sua.”
Na segunda história conhecemos a viúva Liv, que vive no ano de 2006 em Londres, e a vida lhe prega uma peça quando em uma noite bastante especial ela conhece Paul. Liv vai se deixando envolver aos poucos, mas ela jamais poderia imaginar que esse encontro inesperado em um bar fosse virar sua vida de cabeça para baixo e colocar em risco tudo o que sobrou em sua vida, inclusive a lembrança que mais amava que era o quadro que seu marido havia deixado para ela (e que por grande coincidência era o mesmo quadro em que Édouard havia pintado para Sophie em 1916).
“Saiba, minha querida, que marco cada dia, agradecendo a Deus pelo fato de cada um significar que seguramente devo estar vinte e quatro horas mais perto de voltar para você.”
Recomendo bastante a leitura, é tranquila e flui de maneira deliciosa. Incrivelmente tocante, delicado e ao mesmo tempo forte pelas características e histórias dos personagens. As páginas vão se tornando cada vez mais leves e a trama foi ficando realmente interessante quando você entende que "A garota que você deixou pra trás", é na realidade um quandro o qual Édouard pintou para Sophie, um retrato de sua amada esposa. E tudo gira em torno do quadro, desde à guerra até os tempos atuais. É uma história de amor, esperança e confiança nas relações. Uma lição de que às vezes as pessoas precisam entregar tudo para salvar aquelas que amam.
“Eu sei como as coisas podem mudar, como as coisas que você jura que não vão incomodá-lo no início podem acabar destruindo o que é bom.”

Comente com o Facebook: