Passou.

Engraçado, passou. Passou assim como uma ventania que balança um pouquinho as estruturas, mas que logo passa sem deixar muitos rastros. Durante um bom tempo achei que não passaria, que duraria uma eternidade e que eu não seria capaz de esquecer, mas olha só, me dei conta que já não me importa mais. Percebi isso quando tocou aquela música que antes para mim era quase insuportável escutar sem ficar toda melancólica e nostálgica. A música tocou, eu escutei, não vou mentir que não lembrei de nada, lembrei sim, mas lembrei também que está no passado e que já deu tudo o que tinha que dar. Durante um bom tempo foi difícil, já até tinha me conformado que seria um daqueles sentimentos de filme, que mesmo o relacionamento não dando certo o sentimento vive para sempre, mas são só coisas de filme. As lembranças claro que você vai levar, mas o sentimento não, uma hora ele se cansa, se esgota e aos poucos ele acaba morrendo. Antes eu que não conseguia olhar para trás sem ter vontade de voltar ao passado, hoje eu olho e vejo que já não vale mais a pena, que durou o tanto certo, durou até me fazer amadurecer e me ensinar uma lição: se você não reconhece seu valor, acabará sempre com alguém que também não reconhece. Por isso não me arrependo de nada, me fez sofrer? Fez. Partiu meu coração? Partiu. Mas tudo o que passou me fez transformar em uma outra pessoa, uma pessoa que hoje sabe seu devido valor e que sabe que meios amores não valem a pena, se for para ser que seja inteiro, seja companheiro, seja recíproco, apenas metades hoje não me satisfazem, não mais. (Escrito por Bárbara Flores)

Comente com o Facebook: