Sofrer para crer.

Sabemos que dói, que decepciona, que não adianta, que não muda e nem vai mudar, e mesmo assim insistimos. Mesmo assim, com tudo, todos os pesares não são o suficiente para abrirmos mão e seguirmos em frente. Temos essa coisa de sofrer para crer. Sofremos, sofremos, sofremos e sofremos até que finalmente entendemos que não vale a pena. Insistimos em quebrar a cara um milhão de vezes até finalmente aceitarmos que não era para ser. Simplesmente isso: não era para ser. Não adianta brigar com o destino, não adianta tentar atravessar os caminhos, não era para ser. Não adianta fazer novena, macumba ou mandinga, quando não é para ser, não adianta, não vai ser. Quando tem que ser acontece naturalmente, por ambas as partes, sem sacrifícios exagerados e tentativas falhas de conquistar atenção. Para tudo há um tempo, para tudo há uma ocasião e não adianta tentar apressar, tentar fazer as coisas acontecerem antes do tempo, não dá certo. Nem tudo depende só da gente, só da vontade da gente. Certas coisas estão fora do nosso alcance, depende de algo muito além de nós, dependem do destino, dos caminhos da vida, das escolhas, das opções. Certas coisas por mais difíceis que sejam deixar para trás, precisam ser superadas, precisam ser afastadas para dar espaço para novos caminhos aparecerem, novas oportunidades surgirem e novas pessoas chegarem. Tenta deixar essa história de perder seu tempo "sofrendo para crer" de lado, só tente crer que quando uma coisa boa não dá certo, é porque algo melhor futuramente virá. (Escrito por Bárbara Flores)

Comente com o Facebook: