Individualidade (...)

Chega uma hora em que se precisa sair do berço. É necessário ter nas mãos o poder de construir o seu próprio destino. Sair debaixo de toda dependência, para seguir o próprio caminho. É preciso fazer as escolhas que realmente deseja fazer e ter consciência das consequências dessas escolhas. A gente se afasta da proteção materna e cria uma proteção para nós mesmos. Passamos então, a não nos importar se está bom ou ruim pra alguém, o que interessa é se está da nossa maneira não é mesmo?! Assim, como sair e voltar para casa na hora em que der vontade. Os tempos de criança ficam nas lembranças trazidas a tona pelas fotografias e canções perdidas no tempo, os momentos se fazem com a vivência e viver é sinônimo de liberdade. Caminho, destino, infelizmente a construção desses se começa sozinho. E isso é bom, é bom crescer... Mas ás vezes eu sindo falta, de sentir a falta dessa individualidade. Não entendeu?! É que ser sozinho assim as vezes é muito ruim. Eu sinto falta do tempo de criança em que quando eu me machucava, era só sair correndo, chorando, para colo da minha mãe e ela me abraçava, passava um remédio milagroso e tudo ficava bem. Acontece que quando a gente cresce e vira "dono" da própria vida os machucados deixam de ser na pele e passam a ser no coração. E esses ferimentos, infelizmente, são os mais difíceis de curar.

Comente com o Facebook: