Comer, rezar, amar.

Esse livro é simplesmente maravilhoso! A história é apaixonante e me encantou por ser uma história real, vivida e contada pela própria escritora, a Elizabeth Gilbert. A história traz muitas reflexões e inspira muita coragem, determinação e superação, em seus mais diversos aspectos. Depois de tristes e difíceis acontecimentos em sua vida, Liz decide embarcar em uma viagem de um ano em busca de espiritualidade e de sua verdadeira alma. Comer, rezar, amar nada mais é que uma narração da sua viagem que mostra momentos de plenitude, paz, luz e intensidade. A principal mensagem a se refletir nesse livro é sobre mudança. Sobre mudar sonhos, futuro, crenças, expectativas. A maioria de nós temos esse desejo de mudar radicalmente algo em nossa vida, mas não temos coragem de arriscar fazer essa mudança. E é inspirador a forma como Elizabeth tem a coragem de mudar totalmente sua vida ao avesso, encarar suas vontades, realizar os seus desejos e, mais importante ainda, assumi-los.  E então, começa a sua viagem por Itália, Índia e Indonésia. Onde ela encontra Deus através do autoconhecimento, descobre equilíbrio, vive momentos intensos e descreveu cada um deles de uma maneira muito comovente.  E Liz ainda atordoada com os últimos acontecimentos de sua vida e de assuntos e relacionamentos mal resolvidos, conseguiu fazer uma limpeza interior. “Isso não é apenas possível, é essencial”. Mais uma reflexão se faz presente nesse livro: Deus está em nós. Uma curiosidade sobre o livro é a forma em que ela o organizou: os capítulos, os três lugares (Itália, Índia e Indonésia), as 108 contas do japa mala (108 é múltiplo de 3). Tudo forma uma tríade. E para quem não sabe, o número três é o símbolo do equilíbrio supremo. Portanto, seu livro possui 108 capítulos, é dividido em 3 partes, com 36 capítulos cada. Liz conhece pessoas inesquecíveis que mudam a sua vida completamente de uma forma totalmente positiva. Além de viver momentos verdadeiros e intensos com o seu novo amor. Uma das coisas mais interessantes sobre os seus relatos, foi a definição do xamã Ketut Liyer para céu e inferno: para ele, ambos são o mesmo lugar. O que muda é a forma como chegamos lá, ou seja, o céu e inferno na verdade se diferem na caminhada. Sem dúvidas um dos melhores livros que já li, livro lindo, história maravilhosa e conteúdo envolvente! Super recomendo! 
“Vinha tentando me convencer de que os meus sentimentos 
eram comuns, apesar de todas as provas em contrário.”


Comente com o Facebook: