O amor não acaba.

O amor não acaba. Afeto acaba, paixão acaba, afinidade acaba, atração acaba. O amor não, o amor se cansa, o amor se desgasta, mas não acaba. Mas não se preocupa não, por mais forte que seja, ás vezes o amor se cansa mesmo, se cansa da rotina, da mesmice, do costume, se cansa da falta de surpresas, da falta de mimos, da falta de gentilezas. E ele se cansa porque não é um simples sentimento, ele é complexo igual a gente, ele é como uma pequena semente, precisa renascer todos os dias, ele precisa ser cultivado, acompanhado, regado, cuidado, preservado. E para mantê-lo, é preciso dedicar-se, é preciso empenhar-se, é preciso envolver-se. Você tem que cuidar, zelar e encontrar outra pessoa faça isso com você também, afinal o amor não sobrevive sozinho, o amor é essencial, mas só amar não é suficiente. Somente amar não é suficiente, é preciso ter cumplicidade, comprometimento, atenção e amizade também. É preciso generosidade, lealdade, demonstração e compreensão. O amor não acaba, mas também não é um sentimento que se mantém sozinho. O amor para dar certo é preciso que os dois saibam se respeitar, admirar e compartilhar um com o outro, nas horas boas e ruins, nas vitórias e nas derrotas, nas realizações e nas frustrações. O amor vai muito além de um simples sentimento, é o resultado de uma mistura de sensações e sentimentos entre duas pessoas que estão dispostas a lutar e a permanecer, uma pela outra. Ter alguém para amar, demonstrar, corresponder e compartilhar é bom, traz alegria, mas amar e demonstrar sozinho traz sofrimento. O amor não acaba, mas também não sobrevive sozinho. (Escrito por Bárbara Flores)



Comente com o Facebook: